10 de jun de 2009

O post da feminista sobre a invasão na USP é o que eu mais gostei de ler. Bom ver que tem gente que sabe o que é uma comunidade universitária. Porque quem concorda com PM na universidade não tem a menor idéia do que seja isso. Pena mesmo que o sr. governador desqualifique o que é uma comunidade universitária. Porque nós precisamos, muito, dessa dimensão de liberdade e de abertura e diálogo que acontece dentro da universidade. Ontem, quando vi as imagens na tv, fiquei chocada. Eu, que estive algumas vezes em assembléias ali naquele prédio da faculdade de história, não pude acreditar na truculência daquelas cenas. Porque aquilo para mim é absolutamente desconhecido, não foi nessa universidade que eu estudei. Pareciam cenas do tempo da ditadura, cenas que tantas vezes imaginei quando os meus professores contavam da truculência policial nos tempos do regime de exceção. Coisa mais triste do mundo ver aquilo, e mais que triste, inadimissível.
Dispensa dizer que um governador que não respeita a liberdade e o espaço legítimo dos professores, funcionários e estudantes da USP - cidadãos do estado que ele governa - não pode, em hipótese alguma, tonar-se presidente num regime democrático.

p.s. vale muito acompanhar a cobertura do biscoito sobre o assunto.

Nenhum comentário: