13 de jun de 2010

"para captar o visual
de um chute a gol
e a emoção
da idéia quando ginga"

Uma saudade do marido, saudade enorme. Mais uma semana até ele chegar, pra me esquentar nesse frio que perdura. Pra ver jogos comigo, todos, e comentar. Saudade apertada, mesmo.
E por falar em Copa, acabo de ver no Fantástico duas matérias de dar nojo. Tratando mulher como seres que não sabem o que é uma bola, sabe? Afinal, futebol é para seres superiores que entendem o que é impedimento. Que saco, que machisto tacanho. Primeiro, porque existem mulheres, como eu, que adoram futebol, e copa, especialmente. E existem homens que odeiam, eu conheço uma porção deles. Para que, então, insistir nesse clichê? Porque mulher quer o cartão de crédito do marido para passear no shoping enquanto ele vê jogo (sim, isso foi dito com todas as letras). Ô mundinho tacanho esse, dio mio.
Outra coisa lamentávelmente machista é essas matérias sobre dia dos namorados. Mulheres fazendo promessa para casar. Objetivo único na vida de uma mulher, né? Ou: solteiras querendo encontrar o amor no dia dos namorados. Gente, vamos olhar em volta? E me dá mais raiva ver mulheres se prestarem ao papel de participar dessas matérias ridículas. Homens e mulheres vivem as mesmas dores de solidão e nada disso piora por decreto no dia dos namorados. Alou?
E acabou o fim de semana, né? Pena, pena, só de imaginar acordar cedo amanhã, já sofro. Mas vamos lá, que, infelizmente, nem só de Copa e saudade vive essa mulher que vos fala.

6 de jun de 2010

"parece que dizes
te amo, maria
na fotografia
estamos felizes..."

Ontem minha irmã perguntou qual música de amor eu mais gosto no mundo. Pensei um pouquinho, mas respondi: Anos Dourados.
Uma gripe chata me deixou de molho por uma semana, e com isso, uma série de coisas por fazer. Ainda estou sob o efeito da leseira, e essa semana tenho viagem a BH e tudo mais, que preguiça. Ânimo só tenho mesmo para ir à ginástica, porque estou adorando.
Marido viajou, Paris e Guiné, que parece bem precário, enquanto falávamos no skype o luz caiu umas quatro vezes, e ele ainda está na capital do país, veja só. De Paris ele vai me trazer um Iphone, tou animadíssima. E animada também com os preparativos para a festa de casamento, hoje a cunhada me indicou um lugar bem bacana, porém caro, é claro. E a idéia da festa vai tomando forma na minha cabeça.
Desanimada fiquei com a publicação do edital do doutorado. Acho que no fundo eu tenho um pouco de preguiça de começar tudo de novo, e começar quase do zero, partindo para a sociologia. Estou meio desolada, me sentindo uma barata tonta. Preciso escrever para a talvez-orientadora, e nem isso, não me acho na confusão instalada na minha cabeça, e o relógio corre, é um taxímetro em bandeira 2. Quanta coisa difícil nessa vida. Vou é pensar nas arrumações da minha casinha de casada, que é coisa bem mais gostosa.