1 de set de 2009

"minha noiva é meu rosário
em seu corpo eu vou rezar"

Eu sempre adorei essa música, "Corrida de jangada", especialmente esse verso que coloquei ali em cima. Eu sempre um noivo que fizesse do meu corpo seu rosário. E na minha vida é assim, boa parte do que eu sou vem da música, das letras todas e muitas ,que tocam aqui na minha cabeça. Outra parte veio dos romances e da poesia. Só bem depois vieram as ciências socias, que são hoje bem importante, claro que são, fazem parte de mim. Com essa vontade de voltar a estudar e prestar doutorado eu percei o quanto as ciências sociais fazem parte de mim. Mas foram as letras que me moldaram a alma. E eu acho bom, gosto bastante de sentir assim.
E outro dia escrevi para uma amiga querida que "os trinta me encontraram serena como nunca, e feliz de uma forma que eu desconhecia". E isso é uma verdade. Porque há várias coisas a fazer na vida, a cabeça cheia de coisas, algumas incertezas, aquela velha história de emagrecer que ainda é um embate. Mas há uma alegria, uma serenidade, um sentir-se bem e amada, que está para além disso; ao contrário, contribui, mostra caminhos, acalma e lembra, nada é pra já. E eu vou vivendo tranquila, antes de dormir desejo o beijo do namorado, a voz tão terna, penso na viagem para as montanhas e no caldo de mandioquinha que estava tão cheiroso...

Nenhum comentário: