26 de mar de 2009

"no fim da noite um bangalô
penhoar e um abajour
pra gente fazer l'amour
l'amour toujour"

A pendenga da carteira de habilitação quase que pode se considerar resolvida, já que hoje fiz o bendito do exame. A resposta, no entanto, não saiu na hora, mas eu tenho grande desconfiança de que passei. Leia-se: não cometi nenhuma barbeiragem braba.
E mais do que isso, fiquei realmente impressionada com meu desempenho, se podemos assim dizer. Porque eu sou uma pessoa distraída. E durante as aulas chegou um ponto em que eu já sabia de cor o que era o necessário para fazer o exame, mas sempre esquecia alguma coisa, a seta, de olhar no retrovisor (porque nunca passa carros nas ruas em que eu treinava...), ou coisas como deixar o carro morrer ou voltar para trás porque, não sendo mais algo difícil, eu me distraía conversando com o instrutor.
Então minha questão hoje era o receio de esquecer coisas e se reprovada por bobagem. Ou ficar muito nervosa, sei lá. Antes de mim teve uma moça que simplesmente não conseguia sair com o carro do lugar, deixando morrer. Mas. Para minha completa surpresa, não fiquei nem um pouco nervosa. E estava muito atenta, não recordo de ter esquecido a seta uma vez sequer, vejam só. E só pude entender que eu posso confiar em mim, no meu critério. Eu sou sim bem distraída e isso é uma forma leve de lidar com as coisas, que eu gosto (até fiz o examinador deixar escapar um risinho por conta das caretas que eu fazia enquanto virava o volante duríssimo para a baliza). Mas quando preciso, eu aciono algo que não costuma me deixar na mão, neste caso uma atenção que sei lá de onde vem. Mas que gostei de ver, hohoho.
E para comemorar um dia tão bacana (não o resultado, ainda. mas minha performance!), nada melhor que jantar com o namorado num lugar gostoso. Hoje fomos ao Le Tartine, um bistrô aqui pertinho, nos arredores da Augusta. Comi uma quichê de queijo de cabra deliciosa, sugestão do namorado que costuma saber, sempre, o que vai me agradar. De sobremesa, foundant de chocolate, que na verdade não tem esse nome, mas esse é o nome do que comi em Paris e era parecido, então está nomeado. Jantar delícia, namorado delícia, e a vida vai bem, de cores sabores e sons que agradam, acolhem e estimulam. Que sejam bem vindos os bons ventos.

Nenhum comentário: