15 de set de 2008


E já que passei o fim de semana fazendo campanha para mim, vou fazer aqui no blog, vamos lá.
Acho até que é mais que fazer campanha, isso eu já fiz muito e nem de muito longe estou fazendo esse ano. Por muitos motivos, mas não por não querer Marta prefeita. Quero sim.
Porque com a Marta na prefeitura a periferia da cidade foi finalmente vista e assistida. E se vocês me olham com aquela cara de que já estão cansados de ouvir isso, eu lhes digo que a atuação da prefeitura nas áreas mais vulneráveis da cidade é escolha política fundamental para melhora na qualidade da vida de uma cidade, bem como para a inclusão dessas pessoas como cidadãs e cidadãos de direito. E nesse campo as ações foram muitas:
- programas de renda mínima espalhados por toda a cidade, embrionários do bolsa família. sobre a importância de tais programas já falei aqui.
- briga ferrenha da prefeitura para implantação do bilhete único, que na gestão Serra/ Kassab foi absolutamente desvirtuado de seu objetivo inicial. Quem depende de transporte público na cidade de São Paulo sabe que a utilização do bilhete foi MUITO prejudicada com tantos impeditivos para se fazer uso da integração, que inicialmente dava o direito de qualquer cidadão portador do bilhete utilizar quantas conduções fosse necessário num período de duas horas. Depois, com Serra na prefeitura, o número de conduções diminuiu para quatro, em duas horas. Logo depois a novidade: apenas bilhetes cadastrados na SPTrans poderiam fazer uso da integração. Por fim, atualmente apenas bilhetes que foram cadastrados com no mínimo o valor de quatro passagens podem fazer uso da integraçao. Então eu pergunto: se isso não é uma forma de dificultar a utilização, o que é? E mais uma pergunta cabe: quem ganha com essa nova regra? O trabalhador e a trabalhadora que no final do mês mal tem dinheiro pra comprar pão, que dirá carregar bilhete único é que não é.

E por hoje eu fico por aqui. Amanhã tem mais.

Nenhum comentário: